Refinaria Abreu e Lima precariza transporte para os trabalhadores e demonstra intransigência

Charge_boletim

O que você faz quando está numa viagem de duas horas sem banheiro?

Reza.

Pois a gerência da refinaria quer insistir num modelo de transporte que já deu vários problemas no passado. As vans já foram experimentadas para o transporte de turno e vários foram os relatos de dores, desconforto e embaraço por não poder fazer uso de banheiro no trajeto.

Preocupado com o retorno desses problemas e transtornos, o Sindipetro PE/PB participou de uma reunião com a gerência do SOP no mês de fevereiro deste ano, e obteve como resposta o compromisso de se discutir com os trabalhadores a melhor forma de planejamento das rotas, onde manter-se-ia o transporte por meio de micro-ônibus, e o uso das vans se daria em casos excepcionais (ônibus quebrados, etc).

Porém, essa mesma gerência, numa atitude intransigente e lamentável, descumpriu o acordo feito com Sindipetro PE/PB, e passou a informar a categoria através de reuniões biônicas de que já fora batido o martelo, e o transporte por meio de vans será implantado no dia 1º de abril.

A troco de quê a insistência num modelo que já deu errado?
Economia???

A taxa de ocupação não deve servir de desculpas para exposição à condições que venham comprometer os requisitos de Ergonomia e consequentemente a Saúde dos trabalhadores da Refinaria, que em alguns casos se deslocam por quase duas horas no trajeto de casa para o trabalho.

O Sindipetro PE/PB fará o que for preciso, juntamente com os trabalhadores afetados, para que o modelo de transporte por meio de micro-ônibus não seja alterado, pois considera essa decisão unilateral um retrocesso e um desrespeito com a força de trabalho.

Juntos Somos Mais Fortes.

Diretoria Sindipetro PE/PB