Refinaria Abreu e Lima convoca equipe de contingência para evitar dobras e leva unidade à TRIP

culpaminha

Acesse o Boletim nº 08, ano 2017.

O que serviria para evitar dobras, se revelou um desastre na continuidade operacional da Refinaria Abreu e Lima. Como em todos as mobilizações realizadas pelos trabalhadores, a gerência convocou sua equipe de contingência, composta por supervisores de folga, coordenadores acostumados com planilhas e outros que fazem de tudo para obter cargos, para assumir o controle da operação e assim desmobilizar a categoria.

Só que dessa vez saiu caro.

No meio da passagem de turno, um CTO assumiu o painel de controle do HDT com a operação “na reta” e levou a unidade à TRIP, após realizar uma manobra errada. Fica evidente com isso a importância da valorização dos operadores de turno, como também a observação de se não praticar manobras relevantes na passagem do turno.

Já havíamos denunciado desvios como descumprimento de procedimentos, supervisor assumindo dupla função e supervisor operando área que nunca treinou, no boletim anterior. Quando demonstramos preocupação, é para se evitar esse tipo de exposição. Mas para desmobilizar a categoria e evitar dobras, as gerências preferem “pagar para ver”.

Será que vai acontecer, o que aconteceria com qualquer outro operador?

O Sindipetro PE/PB reitera a relevância dos trabalhadores de turno que conseguem operar essa refinaria, mesmo com todas as dificuldades. E afirma que não se faz um operador sem treinamentos necessários.

Um agradecimento especial a todos os trabalhadores que aderiram às mobilizações aprovadas pela categoria.

Sindipetro PE/PB